segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Você quer conversar, mas têm preguiça de responder.
Quer que te ouçam, mas não escuta.
Quer falar, mas interrompe a fala dos outros.
Quer que o tempo passe rápido, mas se agarra ao passado.
Quer que tudo dê certo, mas faz tudo errado.
Você quer liberdade, mas prende os outros.
Você quer sorrir mais, mas só faz os outros chorar.
Você quer ser feliz, mas abraça tristezas.
Você quer mais, mas só faz menos.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

A menina do balão vermelho - Banksy

 A menina do balão vermelho caminha pelas ruas, caminhando vai seguindo os muros, em alguns muros percebe passagens, entradas, becos, outros lugares, só a barreiras nenhum caminha por onde ir ou vir. A menina continua caminhando, segurando o seu balão ela vai pensando, à passagens que ela nunca ira passar, lugares por onde nunca irá caminhar, coisas e pessoas que em nenhum momento da vida ela verá ou conhecerá.
Em algum momento ela se entristece, pensa que perdera muita coisa e isso não a deixará evoluir. Mas a caminhada não para é ininterrupto, o balão as vezes chacoalha com o vento, parece que vai sair das mãos, mas a menina segura com força não pensa em abandonar sua única companhia.
Em alguns minutos uma percepção rápida lhe toma a mente, não se pode ter saudade do que não se conhece que se for de ser, um dia será, não precisara lagrimas, apenas será, assim como as ondas que quebram na praia sem ter noção de onde esta indo.
É o caminho que a vida toma, pode ser que entre por todas as passagens ou apenas siga os muros sem desviar pelos lados, sem fazer voltas ou mudar de rumo.
A menina do balão vermelho sabia que era muito jovem pra se preocupar com essas coisas, mas de fato ela se preocupava e não sabia por que, em algum momento ela perdeu a inocência, ou foi a inocência que dela se perdeu.
A menina ao pensar nisso apenas sorriu, olhou para o balão que a tanto caminha ao seu lado preso, agarrado a sua mão, lembrou que por vezes ele parecia tentar fugir, era só o vento soprar e o balão tremulava todo, como quem quisesse com vento seguir.
Pensou que motivo não tinha mais pra carregar o balão consigo, não queria ser desse tipo de pessoa que prende, que limita.
Abriu a mão e soltou a fita que prendia o balão a ela, o balão vermelho foi subindo com o vento indo perdido, levando com ele os pensamentos da menina.
Ela agora caminha sozinha, com a leveza de não se prender as coisas da vida, a certeza que nunca se esquecera do balão, mas também não se precipitara a pensar no futuro que a espera em cada lugar. 

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Don't walk away..


Cortes que cessam a dor

Eu não sei como poderia desabafar.. 
tem acontecido tanta coisa nessa última semana.
Eu compro roupas que não cabem em mim, eu sou uma gorda idiota e fracassada
fracasso sempre, sempre
Tenho tanto nojo de mim que dá vontade até de vomitar sem parar
Não tenho vontade de sair para lugar algum, ficar em casa, sem nada para fazer, 
Eu estou perdida, não sei mais o que fazer.. sou uma perdedora, uma imunda.
Ele já notou diferença no meu modo de ser, eu espero que isso passe, mas ao mesmo tempo eu queria que ficasse comigo pra sempre.
Para ele eu estou ficando louca, pirada; mas eu pareço normal, não vejo nada além de uma gorda inútil aqui dentro. Não sirvo nem para conselhos, nem sei conversar com uma pessoa, faço de tudo para não ter companhias. É ISSO QUE ME TORNEI, UM MONTE DE MERDA AMBULANTE.
Ficar lamentando não vai adiantar, eu sei bem disso.. 
E mais uma vez eu caio no poço e me afogo com a água fria.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Você que nem sabe mais quem sou

E quanto mais eu sorrir
mais me lembrarei de você
mesmo que tudo tenha sido assim
mesmo você não sabendo mais nada de mim..
Hey! Eu ainda estou aqui.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Quem pode dizer?

Eu poderia estar em qualquer lugar neste momento
Qualquer lugar mesmo
Se eu pudesse escolher, seria um lugar com um banco de praça cinza, com flores vermelhas em volta
Flores sem espinhos
Flores com cheiro de baunilha
Se eu pudesse entender a vida, as pessoas, os pensamentos, os idiotas
Se eu pudesse te entender.. 
Então eu sentaria no banco, não caberia mais ninguém, mas de que isso importa? 
Talvez não seja nada, talvez seja algo

Talvez seja nada e algo ao mesmo tempo, sabe?
Se eu pudesse compartilhar todo esse sofrimento e sacrifício que tem me causado todo esse tempo
Todas as dores de cabeça, de garganta, de coração
Você saberia realmente como o peito chia por não ter ar pra respirar
E compreenderia que eu sou mais uma, mas eu não quero ser mais uma
Mas você não pode, não quer;
E mesmo que quisesse, eu ainda estaria aqui.. iludida por suas palavras.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

High Hopes

 Deve ser bem difícil se importar apenas com o que os outros pensam, ir somente aonde todos vão. Realmente te admiro por conseguir ter uma personalidade para cada pessoa, mudar de opinião conforme ser conveniente e no final dizer tratar-se de personalidade. Deve ser bem difícil ser você: assim tão nua de sentimentos, amigos verdadeiros e opinião inteligente. Mas sinta-se feliz, hoje em dia pessoas como você existem aos montes, só não se aproxime de mim, tipos como você eu não preciso, tipos como você ninguém precisa. E não pense em mudar, pessoas como você não mudam, simplesmente se perdem no meio das próprias mentiras, no meio das próprias alucinações.

O espelho, meu eu

Quando dei por mim já tinha me tornado uma pessoa fria e sem sentimento algum. Por mais que tudo em minha volta se mostrasse feliz, meu rancor era maior que qualquer coisa. Fiquei implicante, chata, mal-humorada e sem educação. Sem entender esses risos descontrolados e inúteis. Essas frases de impacto que nunca salvarão o mundo, essas pessoas que falam de amor como se fosse algo fácil e simples, pessoas que amam pessoas sem nunca terem se visto pessoalmente; amizades falsas e simplesmente por interesse. Enfim, quando dei por mim, fiquei mais critica e seletiva. Agora só desejo que o mundo me entenda; eu não escolhi ser assim: o mundo me tornou assim. Um dia quem sabe meu senso de ridículo vá embora e eu volte a gostar do mundo como ele é.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Clichê Blasé

O blasé da minha vida é permanecer aqui, sem válvulas de escape, sem companhia, sem ninguém..


Palavras


Teu lugar é em mim.
Eu digo, baixinho, 
para que não ouças. 
Para que não saibas.
Ando. Durmo. Falo. Sigo.
Quero o desatino. 
Preciso da descompostura.
Em alerta, espero a desesperança.
Leio palavras alheias 
e todas elas são teu nome.
Em maiúsculo, o vazio.
De novo, tua voz fez casa no meu corpo.
Mas não chega, nunca chega.
Como chegar a essa cama sem palavra nenhuma que me vista?

Doce Orgulho

 Quando se é feliz muito novo, a única obsessão que se tem é aguentar a coisa. Vive-se ansiosamente com a desconfiança, quase certeza da coisa piorar. O pior é que as pessoas que se habituaram a serem felizes não sabem sofrer. Sofrem o triplo de quem já sofreu. É injusto mas é assim. No amor é igual. Vive-se à espera dele e, quando finalmente se alcança, vive-se com medo de perdê-lo. E depois de perdê-lo, já não há mais nada para esperar. Continuar é como morrer. As pessoas haviam de encontrar o grande amor das suas vidas só quando fossem velhas. É sempre melhor viver antes da felicidade do que depois dela.

Fatal explosão

O mundo gira, e eu aqui.
Tudo acaba, e permaneço aqui.
Louco é aquele que acredita que tudo melhoraria se tivesse uma terceira vez.
O vazio dentro de mim é tão grande, que até o silêncio faz eco.


quarta-feira, 13 de junho de 2012

A bela Junie

"A virgem, vivida e bela hoje vai rasgar para nós com suas asas ébrias este duro esquecido lago que assombra sob o gelo. Um velho cisne lembra-se que é ele belo porém sem esperança de se libertar por não ter o cortejo da terra, no radiante tédio da esterilidade do inverno todo o seu pescoço vai se sacudir com sua agonia alva por espaço imposto à teimosa ave, cujas penas são pegas nessa lama imunda. Um fantasma, uma brancura ardente que continua fria, sonho insolente, quão fútil é o exílio para o cisne."

- La Belle Personne

terça-feira, 12 de junho de 2012

( ) errada (x) incompreendida



Sombra

Sabe quando você sente como se estivesse morta? Já não sabe mais diferenciar a realidade do pesadelo? Você grita mas ninguém te ouve, você sangra, mas ninguém vê... Você enxerga o mundo do lado de fora, não se sente parte disso (aliás, não se sente parte de nada) O mundo se tornou uma miragem, você se sente distante, em outro plano até. Você se tornou um cadáver ambulante. Você vive num êxtase eterno envolvido em dor que não consegue se livrar por que isso está em você! Você acompanha seu corpo apodrecendo aos poucos sem poder fazer nada! Você está presa dentro de si, não consegue nem viver nem morrer, está suspensa num purgatório maldito até o dia da sentença final, o dia em que se sentirá realmente livre...



domingo, 10 de junho de 2012

Quantas calorias tem uma palavra?

Olha só a ironia: fui buscar o amor e já tinha. 
Fui tentar ser feliz e já era. 
Fui tentar me encontrar e me perdi.
 E, que loucura, precisei me perder pra me valorizar.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Fantasmas

Eu havia começado a bancar o fantasma outra vez. 
Ali estava eu. Invisível. Nula. 
Prometi que seria a última vez.
Atravessei a rua. 
Sempre era a última vez. Nunca era a última vez. 
As pessoas me viam. Era visível, mas intangível. Talvez.
Resolvi comer. A sobra em minha calça era bem tangivel.
Eu não era leve como um fantasma.
Quis atravessar a rua. Um carro freou.
Se continuasse agindo assim, logo seria um fantasma.
Pisei na calçada.
Talvez eu não quisesse mais ser pessoa.
Voltei pra rua.
Fantasmas...

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Remanescente

Muitas vezes tudo o que eu mais queria é sumir, deixar pra traz todos os meus problemas, deixar você pra traz, mas não adiantaria, meu coração vai permanecer comigo e junto com ele a minha dor.

domingo, 3 de junho de 2012

O tempo


"Eu achei que quando passasse o tempo, eu achei que quando eu finalmente te visse tão livre, tão forte e tão indiferente, eu achei que quando eu sentisse o fim, eu achei que passaria. Não passa nunca, mas quase passa todos os dias.
Chorar deixou de ser uma necessidade e virou apenas uma iminência. Sofrer deixou de ser algo maior do que eu e passou a ser um pontinho ali, no mesmo lugar, incomodando a cada segundo, me lembrando o tempo todo que aquele pontinho é um resto, um quase não pontinho. Você, que já foi tudo e mais um pouco, é agora um quase. Um quase que não me deixa ser inteira em nada, plena em nada, tranqüila em nada, feliz em nada."

Tati Bernardi

Engraçado quando alguém escreve o que a gente sente, parece que as letras saíram das nossas mãos...

quinta-feira, 31 de maio de 2012

With or without you

Quantos ainda estão no portão do paraíso decidindo se vão ou não entrar?
Quantos gritam e não são ouvidos nessa terra longa e fosca, quente e podre? Seus pulmões já a sangrar. 
Quantos pedem por si e por outros em tempo de desilusão?
Quantos podem ser tocados por amargas – ilusão -.

Não me ame em vida;
Não me ame em morte;
Apenas, me ame como ser frágil e insignificante que sou;
Apenas me ame como um ser humano, tão nobre e tão falho da forma exata que você me moldou. 

Menino da caverna

Eu acho que não quero mais gostar de você.
Gostar de você tem se tornado uma tarefa difícil demais. Pode ser mesmo que minha falta de paciência tenha vindo com o pacote do ascendente que nem eu sei qual é. Já parei pra pensar na hipótese de que a vilã da história seja eu, mas você sabe muito bem que é muito mais simples colocar a culpa em você. Em você que é tão flexível, tão calmo, superior a tudo e que irá aceitar. E você compreende agora porque eu cansei de gostar de você? A tua forma perfeita,
disciplina em tudo, suas atitudes tão bem planejadas e frases de efeito me frustram. É como viver na sombra. É feito um pássaro pousado no Cristo Redentor, ofuscado e sem aplausos. E não é só por não ter uma platéia. O fato é que tudo que vem de você me deixa impotente, sem reação. Todos os últimos farelos da minha história sobre ser bem resolvida foram varridos pelas suas características modelo. Eu quero gritar com você, chamar você de tudo, bater a porta do seu carro e não deixar você entrar, sem culpa nenhuma! Eu quero não conseguir contar nos dedos os teus defeitos. A minha ira é simplesmente você não me irritar. Por eu saber que eu vou sempre me render. E nem que eu fizesse aulas particulares eu conseguiria chegar aos
teus pés.  Não quero mais me sentir a simples mortal que me sinto estando com você. Não quero mais me punir por não ser tão boa. Não quero mais esse desequilíbrio. Não quero mais te admirar tanto. Não quero mais ter certeza de todos os meus defeitos.


Não quero mais gostar de você.

Incredible and Chemical

"Before I show you where the secret is
I want to turn you into this
I want to give you all my nothingness
I want to cover you with this


See my life, give me your life
Let me see, my life
Give me - your life
INCREDIBLE AND CHEMICAL"


terça-feira, 29 de maio de 2012

"A maioria dos dias do ano são comuns. Eles começam e terminam, sem nenhuma memória durável nesse tempo. A maioria dos dias não tem impacto no decorrer da vida."

500 Dias Com Ela.

O preto e o branco






Não esqueçam que por trás da escuridão, há sempre a luz

Real e invisível

“Com licença, estou infeliz. Estou mesmo. Não sei dizer o motivo, são algumas frustrações, algumas coisas muito minhas, algumas mágoas que não consigo colocar para fora, porque eu sou assim, escrevo, escrevo e escrevo, mas na hora de abrir a boca pra falar nem sempre sai. Tem coisa que guardo, tranco lá dentro e jogo a chave fora. Preciso me sacudir e fazer a coisa toda sair, mas nem sempre dá, então fico nessa vibe meio infeliz de tudo, infeliz com tudo, infeliz pra sempre. Até o dia que deixar de ser. Até o dia que conseguir falar, me expressar, fazer sair. Preciso de um laxante para as emoções.
Nunca sei direito se a vida me fez assim, as situações fizeram com que eu me tornasse assim, não sei, não sei. A última e única coisa que lembro é de sentir. Eu sinto o sentir. Sei que parece papo de louco, mas é verdade, é real, sinto demais. A realidade me consome. Mas me consome exageradamente.”
Clarissa Corrêa 

domingo, 27 de maio de 2012

Incubus

Tremia e transpirava, apesar de toda aquela clareza e de todo frio. 
Agitava-se em agonia num frenesi constante. 
A luz crescia sem parar. 
De súbito acordar, contatou a sede e o medo de amar.

Mudanças à parte


quinta-feira, 24 de maio de 2012


Você me deixou assim..


Eu tenho tentado, Ana.. 
Não desista de mim, eu lhe suplico.

Andrógino idiota. Andrógino viciante.


Um babaca certa vez me disse que não vale a pena simplesmente pensar em tentativas, que seria muito melhor colocá-las em prática. Foi o que eu fiz.
Hoje em dia, o babaca finge se importar, finge ligar, finge ser alguém que, diferentemente de quando o conheci, era humano e não apenas uma ficção. 

Alma em piano


São gritos mudos que se expressam através da palavra.
É um desejo de compreensão de algo incompreensível.
É a busca do infinito num mundo finito.
É uma vontade de tudo que se manifesta em nada.
É a dor com que através da arte divina brindo a morte.
É a literatura…
É a minha vida.
Onde tudo está na ordem da morte.
Na forma mais rudimentar e primária.
Na linguagem mais simples e semelhante onde toda a
simplicidade gira sobre o abstrato.
É simples e, para compreender isso basta ser cego perante a
inutilidade.
Basta ser mudo para ler de olhos fechados.
Surdo, para ler com o coração.
E Humano para sentir.
Tudo isto é arte. A sua expressão máxima culmina na
literatura.
Ela é a voz do sentimento e para quem a deseja ouvir basta
sonhar.
No entanto, tudo tem limites.
A paciência tem limites…
O amor tem limites…
Até a vida tem limites!
E os limites da minha vida não são mais do que os limites
da folha onde escrevo e, sei que por mais sonhos que tenha
nunca irei sair das margens.
Nunca irei ser grande…
Irei sempre esperar pelo amanhã.
Irei sempre esperar pela morte.
Porém, enquanto ela não chega, preencho linhas…
Linhas no tempo e linhas no espaço.
Mas sempre, linhas nas linhas da minha vida.

E o corvo disse: "Nunca mais"


    " Seu olhar tem a medonha cor de um demônio que sonha,
    E a luz lança-lhe a tristonha sombra no chão há mais e mais,
    Libertar-se-á... nunca mais! "
    (...)

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Fome

Você pode nunca saber o que isso significa. A culpa não é dos olhos. A culpa é da mente. Ela pode não se adaptar bem à culpa, e por isso está tão impaciente. É como se tivesse um buraco negro dentro de você. E aí você tenta preencher e ele suga. Tudo aquilo era pra te deixar cheio até a boca. E aí você tenta preencher mais, mais e mais. E ele suga. Ele te suga. Ela devia saber que não há como preencher aquele vazio daquela forma. Como se sente agora? Vazia e adormecida, eu suponho. Ela chora, e pensa como foi errado o que fez. E aos seus olhos não há nada de errado. É tudo tão normal. Mas ela chora, e pensa que nunca vai se perdoar por isso. A culpa é dela. Não há coisa pior do que aquela sensação. E ela tenta se livrar daquela pressão que a faz pensar que irá se rasgar inteira. Ela não pensa mais no que está fazendo. E isso tudo é tão errado. No fundo, ela sabe que está errado. E isso tudo está tão errado. Mas não há outro jeito que não seja esse. Ela consegue voltar a rotina, escassa e vazia, mas sabe que um dia próximo aquela perturbação irá voltar. A mente dela trabalha o tempo inteiro, até parecer que vai dar nó. E ela pensa o tempo todo em como está presa nas próprias imposições. Suas conclusões de que tudo aquilo não pode mais ser apreciado. Ela quer ser leve, mas sua alma pesa de tão vazia e a puxa cada vez mais para baixo. Você pode nunca saber o que isso significa. Mas a culpa não é dos olhos. A culpa é da mente. Ela quer que percebam que há algo de errado. E existe algo errado, e isso já faz tanto tempo... Você acha mesmo que vão te perceber? Ela sabe que nunca vão notar. Mas não importa. E é como se ela tivesse um buraco negro dentro de si. Que suga tudo, até não sobrar mais nada.

Por May Kivilaakso

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Under The Water



Hoje eu vi uma garota triste, ela me olhava com desespero como se visse em mim alguma esperança.. mas ao mesmo tempo ela me odiava, me desprezava e não me queria por perto, preferia que eu deixasse de existir. Ao mesmo tempo que desejava me matar, também desejava me abraçar e tirar toda essa dor que pesa em meu coração, mas sem saber o que fazer apenas ficou lá me olhando com a mente perturbada por seus sentimentos confusos.
Essa garota tinha meu rosto, meu corpo, meus movimentos e estava presa naquele pedaço de vidro no qual eu olhava.


domingo, 20 de maio de 2012

Stronger

"Como se ela não tivesse suportado sentir o que sentira, desviou subitamente o rosto e olhou uma árvore. Seu coração não bateu no peito, o coração batia oco entre o estômago e os intestinos."

sexta-feira, 18 de maio de 2012

What doesn't kill you..

1. A parte vermelha de mim

- Hey, para onde está indo?
- Para dentro de ti.. sabe, tem momentos em que você precisará de mim, do meu apoio. Se você for fiel a mim, serei a ti.
- Não consigo compreender.. me sinto bem, todos ao redor me amam e se importam comigo.
- Isso é o que você acha; na verdade eles tem pena, estão loucos para poderem rir na sua cara, o quão vaca você  está. Vamos ter que mudar isso. Pode doer por uns dias, mas passa.
- Eu não gosto de sentir dor. Pra mim a maior dor é da perda.
- Nesse caso você vai rir muito depois que estiver perdendo, vai se sentir melhor. Cuide mais de você, deixe aqueles que querem interferir na sua vida de lado. Viva. Seja egoísta e seletiva.
- Mas, eu me sinto tão bem..
- Você é zoada por todos. Nunca parou pra ver como as pessoas te olham, fixas.. gargalhando por dentro por ter que ver essa rolha de poço?
- Mas.. 
- Quer mais uma barra de chocolate? Quer ser a vaca que muge em busca de carícias? Quer? Levanta esse queixo e segue.. Anda mais. Vai te fazer bem. E não esqueça nunca, anjo.. NUNCA COMA.






Now, I have to go

Você entende quem eu sou?
Você quer saber?

Você realmente vê através de mim?
Agora eu tenho que ir..

Goodbye & Good Riddance To Bad Luck


quarta-feira, 16 de maio de 2012

A dor da fome que você finge não sentir, sou eu dentro de você

Então eu me toquei que nada é pra sempre, e isso não faz muito tempo, mas também me toquei que me transformei num monstro. Estou parando de ser como eu era, já não me reconheço mais, e estou cansada de pensar que sou a única que sofro com isso, pois sei que não. As lágrimas se tornaram uma rotina em minha vida, antes tudo era tão fácil... acho que realmente não sou mais a mesma. Mas eu me importo muito comigo, apesar de tudo, eu me importo e sinto que vou conseguir mudar TUDO.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Welcome to my silly life



Segui o caminho errado
Uma ou duas vezes
Cavei até conseguir sair
Sangue e fogo

Decisões ruins
Tudo bem
Bem vindo à minha vida boba

Mal tratada,
Deslocada, mal compreendida
Um pouco esperta, tá tudo bem
Mas isso não me parou

Errada,
Sempre em dúvida
Subestimada,
Olha ainda estou por aqui

Você é tão mau
Quando fala
Sobre si
Você está errado.

Mude essas vozes
Na sua cabeça
Faça eles gostarem de você dessa vez.

Tão complicado
Olha como estamos conseguindo
Cheio de ódio
Um jogo tão empatado

Chega,
Eu fiz tudo que pude
Eu persegui todos os meus demônios
E vejo que você faz o mesmo

O mundo inteiro está assustado,
Então eu engulo o meu medo
E a única coisa que eu deveria beber
Era uma cerveja bem gelada

Facilmente mentindo
E nós tentamos, tentamos
Mas nós tentamos demais,
É um desperdício do meu tempo

Cansei de procurar pelas criticas,
Porque elas estão por todo lado
Eles não gostam do meu jeans,
Não entendem o meu cabelo

Sempre tão rigorosos com nós mesmos
E somos o tempo todo
Por que fazemos isso? Por que faço isso?
Por que faço isso?


sexta-feira, 11 de maio de 2012

Há dias em que eu sento em meu sofá,
E com a postura correta, eu espero.
Enquadro meus chinelos perfeitamente na cerâmica da sala.
E isso não faz sentido.
Ligo a TV e não entendo o que dizem.
Eu apenas sinto aquela dor latejar, e então espero.
Porque há dias em que eu sinto que já estou morta.
Agora, eles só precisam me tirar daqui.
Há dias em que estou preparada para ir embora.
Mas eles não vêm.
Eles nunca vêm me buscar.
Então eu espero.
Agora, continuo sentada naquele sofá.
Não me deixem mais aqui.
Eu quero ir embora.


May

Bullshit

E desde quando as pessoas são humildes conosco?
Nós fomos moldadas assim.. julgue o caráter e a ria da vergonha alheia.
Isso não vai te diminuir, também não irá te elevar, mas dá pra dar umas gargalhadas,
porque no final, tudo vira a mesma merda.


quarta-feira, 9 de maio de 2012

Os Fragmentos de Tracey


Um dia você se apaixona
por um cara e é tocada pelos dedos dele.
E ele deixa marcas em sua pela
com a boca dele.
Mas machuca quando
olha para ele.
E dói quando não olha.
É como se alguém estivesse
te cortando com um caco de vidro.



quinta-feira, 3 de maio de 2012

Em outra estante

Quando tudo se partiu, nada mais sobrou dentro dela, você tentou, você tinha sido uma boa PEÇA. Estava tudo nos conformes e, na verdade, você tentava entendê-la mas ela era um QUEBRA-CABEÇAS partido, sem todas as figuras completas. Nem sempre somos o que queremos ser. Você a quebrou, e só queria carícias, carências, afagos em seu peito, ela não era nada além disso em sua VIDA, e mesmo assim você a tratou como tal, de forma banal, completo INFELIZ.
É é nisso que você perde, nessa solidão toda, nessa mediocridade intensa..
PEÇA DO QUEBRA CABEÇAS DE UMA VIDA INFELIZ.




terça-feira, 1 de maio de 2012

Infindável [vida medíocre]

E eles vão se perguntar porque eu fiz isso.. foi por impulso, foi sem malícia - é o que direi - mas no fundo eu sei que era uma válvula de escape, era tudo e não era nada. Vocês babacas que sumam, não preciso disso, já possuo toda a babaquice necessária dentro de mim. Então eles irão e não pense que eles voltam, porque nada disso será passageiro e sim permanente, eterno.

domingo, 29 de abril de 2012

Uma gota do meu âmago na poça da imensidão

Quero me proteger de mim mesma, me sentir, tocar cada parte do meu eu..
Estar longe, estar perto ou simplesmente estar..
Ter tudo e não ter nada, estar vazia ou cheia de algo, e nunca me cansar..
É mais do que um querer, é uma necessidade.
Quero vida na minha casa, na minha família e oxigênio suficiente para todos que me cercam e para os animais..
Para os banais, apenas o ócio, a amargura, a ingratidão,
tudo que me deram e logo tomaram de mim
tomaram tão rápido que nem digeriram, nem nunca digerirão.
A face do desprezo pra quem nunca ligou, pra quem desligou ou apenas esqueceu, fingiu, infringiu.
Quem zuou, caçoou, tentou, falhou.. para todos e para ninguém.
Esse é meu adeus para os retardados,

E também meu olá para os infiltrados.. na minha humilde vida.


Pequena alma minha, pena minha

Não consigo lembrar como
Não consigo lembrar o por quê
Estou deitado aqui esta noite


E eu não posso suportar a dor
E eu não posso fazê-la ir embora
Não, eu não consigo suportar a dor


Como pôde acontecer isso comigo?
Eu cometi meus erros
Não tenho para onde fugir
A noite continua


Enquanto sumo aos poucos
Eu estou cansado desta vida
Eu só quero gritar:
Como pôde acontecer isso comigo?


Todo mundo está gritando
Eu tento fazer um som
Mas ninguém me ouve


Eu estou deslizando fora da borda
Eu estou pendurado por um fio
Eu quero começar isso mais uma vez


Então, eu tento segurar
Em um tempo quando nada importava
E eu não posso explicar o que aconteceu

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Demônio em forma de anjo

Porque tudo que eu mais quis, eu sonhei, imaginei, fiz de tudo pra provar para mim mesma que era isso que eu queria colocar em prática. Daí você apareceu e fodeu com tudo, fodeu comigo, fodeu gostoso e ainda sem camisinha..
[ eu enlouqueci? ]

Mundo progressivo, indelicado e clichê

Eu devo ser feita de punhados que desperdiçaram.. sempre pensei isso. Sabe aquela palavra bonita que você decidiu falar e deixou a mais simples e sem graça, sem impacto, de lado? 
Eu sou essa parte. A parte que deixaram de lado por acharem meio "comum demais"

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Pobre Alice


(...) - Podia-me dizer por favor, qual é o caminho para sair daqui? - perguntou Alice.
- Isso depende muito do lugar para onde você quer ir. - disse o Gato.
- Não me importa muito onde... - disse Alice.
- Nesse caso não importa por onde você vá. - disse o Gato.
- ... contanto que eu chegue a algum lugar. - acrescentou Alice como explicação.
- É claro que isso acontecerá. - disse o Gato - desde que você ande durante algum tempo.

Colapso, involuntário

Ele pode até ser um pouco interessante, por que não? Muitos são, não é?


Todas as grandes coisas se tornarão meros anões desfilando na passeata dos feriadões
 quando eu for 4.0
Toda a criançada vai continuar rindo e dessa vez terão outros 500 motivos
quando eu for 4.0
Toda as lojas de regatas serão minhas
quando eu for 4.0
Todo e qualquer lugar será mais bonito, mais bem feito e mais colorido
quando eu for 4.0
Toda a imensidão será mais azul e a grama mais verde
quando eu for 4.0
Toda a minha família vai se orgulhar de mim
quando eu for 4.0
Eu tenho fome.. fome de escrever tudo que sinto, de tentar de alguma forma colocar tudo pra fora num vômito só; eu só tenho tentado, é só isso que tenho feito durante esses últimos meses.
Estou a ponto de ter um colapso, de nadar e não chegar a outra margem.. a água tem sido tão fria e suja.

Por maior que seja a vontade, eu vou resistir..
eu estarei aqui, SEMPRE.


Everybody's Fool


segunda-feira, 16 de abril de 2012

Ondas

Cada passo nessa vida
É uma onda quebrada no mar
extasiada pelo horizonte
e tentando se aproximar
Cada lágrima caída
sofre mais que um moinho
girando sem destino
e não percorrendo seu caminho
Cada ponto final dado
é uma injúria lastimada
Cada pote vazio 
é uma esperança despedaçada
Cada vida levada 
é um empurrão desconhecido
que faz por fazer
sempre é sem querer
e nunca se imagina que tenha doído.


Então
A escolha que eu fiz
Pode lhe parecer estranha
Mas, em todo caso, quem lhe perguntou?
É a minha vida
Destroçando-se
À minha própria maneira

Veja você
Para alguém
Em algum lugar
Oh sim
Diplomado na mente,
corpo e alma
Parcial ou integralmente

Porque para alguém
Em algum lugar
Oh sim
Diplomado na mente,
corpo e alma
Parcial ou integralmente

Então, a vida que eu levei
Pode parecer errada para você
Contudo, nunca estive tão certo
É a minha vida
Arruinando-se
À minha própria maneira

domingo, 18 de março de 2012

A Realidade em 5 etapas

- Em uma lista com nomes de amigos, você se sente feliz demais por ter tantos, tendo bastante gente que não tem um para compartilhar algo.

- A lista é algo material, mas você jura até a morte que os sentimentos são verdadeiros.

- Nessa lista, tem de tudo: desde os falsos até os que já te fizeram sofrer, e ainda fazem.

- Para uns, raros, a lista está se diminuindo, porque você vive a descartar quem não faz mais parte do seu mundo.

- Para outros, grande maioria, ela está sempre aumentando, sempre precisando de grampos e mais grampos para uma folha a mais.

Agora diga-me, sinceramente, qual o tamanho da sua lista? E o quão pesada ela tem ficado depois de tanto tempo ao seu lado? Pense nisso.
 

Deixa eu te beijar

Há um lugar ao sol
Para qualquer um que tenha
A força de correr atrás
E acho que encontrei o meu lugar
Sim, eu realmente acredito que
Encontrei o meu
Então..

Feche seus olhos
E pense em alguém que
Você admire fisicamente
E deixa eu te beijar
Deixa eu te beijar

Eu perambulei por todo os Estados Unidos
E não consegui encontrar
Um refúgio seguro
Me diga, você me deixaria chorar
No seu ombro?
Ouvi dizer que você tentaria
Qualquer coisa duas vezes

Feche os olhos
E pense em alguém que
Você admire fisicamente
E deixa eu te beijar
Deixa eu te beijar

Mas então, você abre seus olhos
E vê alguém
Que você fisicamente despreza
Mas meu coração está aberto
Meu coração está aberto para você

quinta-feira, 1 de março de 2012

Minha fraqueza espiritual

Não fale, não comente..
algumas pessoas realmente não entendem.
Não se exiba, jamais dialogue..
algumas pessoas realmente não estão nem ai.
Seja forte, mostre a todos que você pode..
Você não é fraca!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A Fossa

Quando você experimenta a fossa uma vez, você já sabe quando um filho da puta vem e tenta te colocar lá de novo. Isso se chama esperteza.


domingo, 26 de fevereiro de 2012

Boa noite, vida

"Sentia vontade de chorar, mas não saía lágrima alguma. Era só uma espécie de tristeza, de náusea, uma mistura de uma com a outra, não existe nada pior. Acho que você sabe o que quero dizer, todo mundo volta e meia passa por isso, só que comigo é muito frequente, acontece demais."  

Clavículas

Certa vez me perguntaram o que eu mais gostava em mim
Eu demorei para dizer, olhei no retrovisor do carro 
Pensei em dizer meus olhos, confesso, mas olhos tornaram-se tão clichê
e então, eu desisti de ser sincera comigo mesma.
Pensei em dizer meu sorriso, mas hoje os cigarros já o tornaram amarelado
e então, eu desisti de ser sincera comigo mesma.
Pensei em dizer meu cabelo balançando junto ao vento, mas hoje ele está seco, caindo
e então, eu desisti de ser sincera comigo mesma.
Pensei nas saboneteiras, e por fim eu gostei do que via
e então, eu desisti de ser sincera comigo mesma e passei a mentir para tentar gostar de mim.


Eu quero que isso acabe logo..

Por favor, eu suplico..

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Precipitar-se diante de algo

E quando olhei no espelho
não tive medo, angústia
tristeza ou susto..
Foi como se um sentimento me dominasse
um nojo, um vazio
raiva, insensatez..
Foi pena.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Por que tudo teve que ser assim?
Essa é a face que você desiste, pretende, anseia em ver.. a sua face oculta, você.
O babaca de sempre, o cansaço te dominando, o nada
Uma vez que tudo é esgotado, você fica sendo uma fração do incomum, do anormal
e depois disso ninguém mais te olha da mesma forma..
VOCÊ ME ASSUSTA! - foi o que ele disse.

Tudo, em letras grandes, consertando você..

When you get what you want, but not what you need..
When you feel so tired, but you can't sleep,
Stuck in reverse.

...

Você conhece aquela história que, se colocar um sapo numa panela com água fria no fogo, quando perceber que a água está fervendo já será tarde demais e morre?


Portanto, não chegue tarde demais.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

O Tédio, de Heinrich Heine

- Eu venho aqui, doutor, fazer-vos uma consulta.
A doença que me punge e esteriliza a mocidade e o espírito,
resulta de uma chaga que nunca cicatriza.
Muito embora comum a toda gente, a dor que sofro,
- atroz hipocondria! - tanto me torna pensativo e doente
que já não sei mais o que é paz nem alegria.


Sendo o mais sábio clínico do mundo,
sois também um filósofo notável.
Do peito humano auscultador profundo,
curareis este mal imensurável,
que me esmaga o organismo fibra a fibra,
que me corroí o cérebro e o condensa. 


Eu tenho um coração que já não vibra,
suporto uma cabeça que não pensa.
E este tédio mortal, tédio agoureiro,
que me consome e me escurece os dias,
é como os beijos dados a dinheiro
numa noite de orgias.


- O amigo tem razão, padece realmente.
Contudo, a enfermidade que o devora
é o produto fatal do século de agora.
Podes curá-la, creia apenas num momento.
O tédio é uma sombria, uma fatal loucura.
É a sombra anterior da longa noite escura,
onde se esquece tudo: a sorte, a vida ousada.


Só se lembra um ser, só se lembra um nada.
Diga-me: alguma vez amou? Nunca estrugiu em seu peito,
como as ondas do mar que rugem e se encapelam
ao soturno rumor do vento e da procela?
Junto, bem junto ao seu, que de dores se junca,
bateu um coração apaixonado?


- Nunca!
- Pois então amigo, procure a agitação constante!
Vá visitar a Grécia, o Oriente, a Terra Santa.
São sítios onde tudo se evoca e se decanta
as glórias de uma idade imorredoura e eterna,
que maravilha e deslumbra a geração moderna.


- Em híbridos prazeres passei a mocidade.
Percorri viajando o mundo e a humanidade
como o judeu da lenda.
Entre as mulheres todas cujos lábios beijei
em bacanais e bodas,
mulher nenhuma eu vi sobre a terra tamanha,
que para mim  não fosse uma visão estranha.


Como parti, voltei. Sem achar lenitivo
para este mal, doutor, que assim me traz cativo.
- Frequente o circo, amigo. A figura brejeira
do famoso Arlequim que a esta cidade inteira
palmas e aclamações constantemente arranca,
talvez lhe restitua a gargalhada franca!


- Vejo agora, doutor, que o meu caso é perdido.
O truão de quem falais, o palhaço querido
que anda no Coliseu tão aclamado,
tem um riso de morte, um riso mascarado
que encobre a dor sem fim do tédio e do cansaço.
Sou eu, doutor, sou eu este palhaço!